Aproveite esta promoção, nova Torah 2014.

Imuno-hai

Home / Acervo / Nossos estudos / Palestra sobre Imersão
A+ R A-
02 Ago

Palestra sobre Imersão

Qualifique este item
(5 votos)
I - Introdução:
O princípio geral da imersão (tevilá):
– A Torá requer que haja imersão por causa da impureza (Lev. 13-15). Essa impureza pode às
vezes ser resultado de pecado (Lev. 18:1), como por exemplo menciona David HaMelech (Sl.
51:2,7)
– Tevilá significa estar completamente imerso em um corpo d'água
A mikveh/mikvah:
– Corpo de água corrente que possibilita a imersão. Pode ser um poço, uma piscina (ie. água
canalizada, desde que seja corrente – ie. o fluxo d'água não pode ser interrompido)
– Jer. 17:13-14 e um outro significado para a palavra “mikveh/mikvah”
II - Relato sobre a Prática
Acerca dos essênios, Josefo escreve:
“Depois disso, eles se reúnem juntos em outro lugar, e quando se cobrem de vestimentas brancas,
eles banham seus corpos em água fria. Após a purificação estar concluída, então todos eles se
reúnem em um local deles.” (Josefo, Guerra dos Judeus, II, 6, 2-13)
III – A Imersão simbolizando a Purificação dos Pecados
Dois são envolvidos na imersão:
De Elohim para nós:
– Ez. 36:25: “Então aspergirei água pura sobre vós, e ficareis purificados; de todas as vossas
imundícias, e de todos os vossos ídolos, vos purificarei.”
– Rabi Akiva: "Bendito és tu, ó Israel! Pois perante quem te purificas? E quem te limpa? Teu Pai
Celestial!" (Yomá 8:9)
De nós para Elohim:
No Judaismo antigo, segundo a enciclopédia judaica, o mikveh simbolizava penitência. Segundo a
obra "A Vida de Adam e Chava" 1:5-8), como forma de arrependimento pelo seu pecado, Adam e
Chavá ficaram imersos até o pescoço fazendo jejum e penitência. Adam no Yarden por 40 dias e
Chavá no Tigre por 37 dias.
IV – Casos prescritos nas Escrituras
- Para refletir: Mishná Sotá 9:16 "A pureza é um tipo de santidade"
1 - Tsaraat (Lv. 22:4-6)
2 - Imundíce (Lv. 22:4-6)
3 - Contato com imundice (Lv. 24:8-9)
4 - No Yom Kipur (Cohen Gadol) - Lv. 15:16,18)
5 - Contato com mulher menstruada (Lv. 15:19-27)
6 - Alimentar-se de um animal que morreu de morte natural (Lv. 17:15)
7 - O Cohen Gadol ao tocar na vaca verelha (Nm 19:7,8)
8 - Quem toca em cadáver (Nm. 19:19)
9 - Consagração dos levi'im (Nm. 8:15)
10 – Consagração dos cohanim (Lv. 8:6)
11 - Mulher casada após menstruação (II Sm. 11:2,4) – Obs especial: noivas
12 – A imersão em Nome de Yeshua (vista adiante)
13 – A imersão no Fogo/Ruach (vista adiante)
- Para refletir: as imersões descritas aos cohanim e aos levi'im se aplicariam a nós?
V – Yochanan, o Imersor
Flavius Josefus acerca de Yochanan o Imersor:
"A lavagem seria aceitável a ele, se eles fizessem uso dela, não para purificar alguns dos pecados,
mas para a purificação do corpo; supondo ainda que a alma é meticulosamente purificada de
antemão pela justiça"
Yochanan não inovou com “imersões em água.” Ele continuou a prática da Torá de imersão (Mt.
3:6,11; Mc. 1:4-5; Lc. 3:2-3,7; Atos 19:3-4). Acerca de Yochanan o Imersor, Josefo relata: “...
determinava que os judeus exercessem virtude, tanto retidão uns para com os outros, e piedade para
com o próprio, e piedade perante Elohim, e assim viessem à imersão para que a lavagem fosse
aceitável...” (Josefo; Ant. 18:5:2). Detalhe: esse era um ritual judaico do qual os fariseus e os
saduceus participavam (Mc. 1:5; Mt. 3:5-7 com Lc. 3:7)
A imersão de Yochanan:
Representava arrependimento (vide Atos 19:4)
Preparava as pessoas para receberem a Yeshua (Vide Mt. 3)
Requeria a confissão dos pecados (Mt. 3:6)
VI - O Prosélito e o Nascer de Novo
– A imersão de um prosélito (Yeb. 47a; Gerim 1)
– Os três selos do prosélito: circuncisão, sacrifício e imersão (Yeb. 46b, 47b; Ker. 9a; 'Ab. Zarah
57a; Shab. 135a; Yer. Kid. iii. 14, 64d)
– O espanto de Nakdimon: Jo 3:2-6
Conceitos do Nascer de Novo:
- "A mikveh personifica tanto o ventre quanto a sepultura; os portais para a vida e para a vida
eterna. Em ambos, a pessoa é destituída de todo poder e orgulho. Em ambos, há uma forma de
dependência total, uma abdicação completa do controle. A imersão na mikveh pode ser entendida
como um ato simbólico de auto-negação, a suspensão consciente do ser como força autônoma... A
imersão indica o abandono de uma forma de existência para abraçar outra infinitamente
superior. Ao nos atermos a este tema, a imersão não é descrita apenas em termos de purificação,
revitalização e rejuvenecimento mas também - e talvez de forma primária - como renascimento."
Rivkah Slonim
- "O mikveh é vida; é como as águas da placenta nas quais o feto vive e se desenvolve - quando o
infante sai das águas, ele está vivo. Assim é com aquele que sai do mikveh pela manhã; ele é
rejuvenecido, ansioso para servir ao Criador." Prof. Abraham Beyarsky
VII - A Imersão para o Talmid de Yeshua
• Simboliza o novo nascimento para o Reino de Elohim (vide Jo. 3)
• Simboliza a remissão dos pecados (vide Atos 2:38)
• Simboliza a regeneração em Yeshua (Rom. 6:11)
• Simboliza que morremos com Ele para o pecado, e seremos ressuscitados com Ele (vide
Rom 6 e Col 2:12)
• Simboliza a nossa consagração enquanto sacerdotes do Reino do Mashiach
• Ao contrário das demais imersões bíblicas, esta imersão é ÚNICA (vide Efésios 4:5)
VIII - A Imersão Salva?
- Nos manuscritos de Qum'ran, vemos que o mikveh é simbólico de um estado espiritual:
“Cerimônias de expiação não podem restaurar sua inocência, nem águas de culto a sua pureza. Ele
não pode ser santificado por imersão em oceanos ou rios, nem purificado por simples banho ritual”
(1Qs Col. 4 linha 4f)
- Dentro do conceito visto acima, como entender Mc. 16:16?
IX – Observações sobre a Imersão de Yeshua
A tradição judaica ajuda a entender o relato de Lc. 3:21-23:
- Um comentário sobre o Mashiach em Bereshit Rabá II:
"A Ruach de Elohim, pairando como um pássaro de asas extendidas, manifestará na Ruach
do Mashiach, e virá sobre Israel." acerca do arrependimento de Israel simbolizado pelas
águas em Lm. 2:19
- Para receber a Ruach ou estar perante a Shechiná, é preciso imersão (Metsorá 6)
X – A Imersão no Fogo
- Como entender Mt. 3:11?
De acordo com Abahu, a verdadeira imersão seria com fogo (Sanhedrin 39a)
Shemot Rabba e o rio de fogo onde nasceram os anjos (Midrash – Shemot Rabá cap. 39)
Robespierre Cardoso da Cunha

Robespierre Cardoso da Cunha

Shalom.

Grande paz, bondade, bênção, graça, gentileza e compaixão sobre nós. Abençoa-nos, nosso Pai, todos nós como um só, com a luz do Teu rosto, pois com a luz do teu rosto nos deste, Adonai, nosso Elohim, a Torá da vida e amor de bondade, justiça, bênção, compaixão, vida e paz. E isto pode ser bom diante de Teus olhos para abençoar Teu povo a cada momento e a cada hora com a Tua paz. Bendito és Tu, Elohim, que abençoa todo o teu povo com paz.

Website: centrodeestudosprofeticos.com.br/

2 comentários

  • VANDA MATTOS

    É MARAVILHOSO SABER QUE EXISTE A TORÁ QUE NOS MOSTRA O CAMINHO A SEGUIR E A INPORTANCIA DA IMERÇÃO É O MOMENTO MUITO LINDO E FORTE NA VIDA DOS NATZIRI BEN DITO SEJA YESHUA POR QUE A HORA JA ESTA CHEGANDO .

    VANDA MATTOS Ter, 02 de Agosto de 2011 14:24 Link o comentário
  • VANDA MATTOS

    É MARAVILHOSO SABER QUE EXISTE A TORÁ QUE NOS MOSTRA O CAMINHO A SEGUIR E A INPORTANCIA DA IMERÇÃO É O MOMENTO MUITO LINDO E FORTE NA VIDA DOS NATZIRI BEN DITO SEJA YESHUA POR QUE A HORA JA ESTA CHEGANDO .

    VANDA MATTOS Ter, 02 de Agosto de 2011 14:21 Link o comentário

Deixe um comentário

CEP - Centro de Estudos Proféticos
contato: Robespierre@centrodeestudosprofeticos.com.br - Telefone: (71) 3492-5517