Erro
  • JUser::_load: Unable to load user with id: 103

Aproveite esta promoção, nova Torah 2014.

Imuno-hai

Home / Acervo / Nossos estudos / COMO TUDO COMEÇOU
A+ R A-
06 Nov

COMO TUDO COMEÇOU

Qualifique este item
(11 votos)

O objetivo deste texto é tentar, segundo nos for concedido, mostrar ao leitor algo muito simples, porém muito importante, com relação à nossa vida espiritual, na verdade, narrativas podem ser iguais, porém representando fatos diferentes!

Se um amigo nos disser: "João viajou para a França e visitou a Torre Eiffel", e, depois de algum tempo, ele volta a nos dizer: "José viajou para a França e visitou a Torre Eiffel", nossa primeira impressão é que ele já havia nos relatado este fato e que agora se enganou no nome. Então nós lhe dizemos: "Você já me contou isso outro dia". E ele diz: "Não. Outro dia eu contei que o João viajou, mas hoje estou contando que o José viajou. São dois fatos diferentes, embora com narrativas idênticas". O que faz a diferença entre um fato e outro, uma vêz que as narrativas são idênticas?

O NOME! A única diferença entre os dois relatos está no nome que foi usado em um relato, e, o nome que foi usado no outro relato.

Mudou-se o nome, mudou-se o fato! Isso é evidente!

Foi suficiente trocar o nome de João para José, usando o mesmo relato, para que tivéssemos agora dois fatos, e não mais um único.

Talvêz, durante a leitura deste texto, até mesmo em suas primeiras palavras, você sinta vontade de jogá-lo fora, porque ele certamente irá chocá-lo. Contudo, se o domínio próprio prevalecer em você, e você fizer segundo as escrituras nos ensinam "provai de tudo e retende o que é bom", certamente ao final você descobrirá que valeu a pena, e que através deste simples texto a misericórdia e amor do Altíssimo alcançaram a sua vida, seja qual for a sua crença atualmente.

Este texto tem o propósito de desmascarar planos arquitetados pelo inimigo do Altíssimo, e inimigo também da humanidade, que tem mantido até hoje uma enorme parte da humanidade mergulhada num "evangelho paralelo", onde todos os fatos, narrativas, milagres, profecias, promessas, etc. são idênticos, porém enganosos, (levando à destruição) pelo simples fato de terem alterado os NOMES. Lembre-se, muda-se o nome, muda-se o fato. Abra seu coração, examine tudo e retenha o que é bom. O Altíssimo certamente estará com você durante esta leitura.

Entendendo as artimanhas malignas.

Para melhor podermos entender, e receber esta mensagem, é necessário que um verso das Sagradas Escrituras seja, de início, colocado e enfatizado, como verdade que é, dentro do seu apropriado contexto escritural, e que o leitor possa atentar cuidadosamente para o que ele diz sem o quê, todo o restante deste trabalho, seria inútil e incapaz de alcançar corações.

Jeremias (Yermiahu) 11:19 - "Eu era como Manso Cordeiro, que é levado ao matadouro; porque Eu não sabia que tramavam projetos contra Mim, dizendo: Destruamos a árvore com Seu fruto; a Ele cortemo-lo da terra dos viventes, E NÃO HAJA MAIS MEMÓRIA DO SEU NOME". (o grifo é nosso)

Em primeiro lugar, para todo conhecedor das verdades escriturais, é muito claro que "Manso Cordeiro levado ao matadouro" refere-se ao Messias, o Salvador de todos os homens, o qual foi sacrificado como Cordeiro Imaculado em expiação pelos pecados de toda a humanidade. Aqui, de início, partimos da premissa de que você já creu que o Messias foi enviado e morreu sacrificialmente por você, há cerca de dois mil anos. Se ainda não, até o final da leitura certamente terá bastante informação para meditar e tomar sua própria decisão de fé.

Estes, a quem as escrituras se referem como "os que tramavam projetos contra Mim", tinham um alvo muito claro e bem definido em seus malignos intentos. Para eles, tanto seres espirituais malignos como seres humanos entregues à malignidade, nada do que o Messias disse ou fez lhes agradava, e até hoje não agrada. Por quê? Porque as trevas detestam a luz. A luz expõe os seus erros, expõe seus intentos, e suas obras malignas. Assim, estes que "tramavam projetos" tinham o objetivo definido e um alvo certo: tentar de todas as formas possíveis, ocultarem A LUZ.

Os seus malignos planos se dividiam em duas partes:

A primeira destas partes, sem que eles pudessem ter sabedoria de perceber, estava nos planos do Altíssimo, e por isso seu intento foi levado adiante e consumado. Esta primeira parte era "Destruamos a árvore com Seu fruto; a Ele cortemo-lo da terra dos viventes". Ora, estava escrito que o Messias deveria morrer sacrificialmente como expiação completa e definitiva de todos os nossos pecados. Um sacrifício de um Justo pelos pecados dos injustos. Sem que pudessem perceber que estavam destruindo a si próprios, estes seres malignos desferiram o golpe de morte contra o Messias, pregando-O no madeiro, e assim, abrindo a porta da libertação de toda a humanidade da escravidão do pecado, da morte e do inferno. Este golpe se voltou contra eles próprios, contra estes que queriam a humanidade debaixo do pecado e das trevas, para que, seu domínio maligno se perpetuasse. O tiro saiu pela culatra, conforme o dito popular. Figuradamente, eles se enforcaram na própria forca que haviam construído.

A segunda parte deste plano, porém, ainda se encontra em andamento, contudo não será levada a cabo, pois não faz parte da decisão soberana do Altíssimo.

Tendo sido frustrados totalmente na primeira parte do plano, e vendo que seu golpe acabou ferindo a eles próprios, era necessário que trabalhassem arduamente na realização da segunda parte, como uma derradeira tentativa de enganar e destruir a humanidade: "E NÃO HAJA MAIS MEMÓRIA DO SEU NOME".

Por que é tão importante para as hostes malignas que "NÃO HAJA MAIS MEMÓRIA DO SEU NOME"? Por que tem as hostes malignas trabalhado tão arduamente, e usado tantos seres humanos neste propósito de apagar a memória do Seu Nome?

Porque eles conhecem as escrituras, e sabem a grande importância que este Nome possui! Eles também sabem que, mudando-se o nome, muda-se o fato, e assim, podem-se corromper os relatos, fazendo com que se creia numa mentira, de relato idêntico à verdade, porém com diferentes personagens. Se você não leu a introdução, peço humildemente que o faça para compreender melhor.

Todos os que, de alguma forma, colaboram para o esquecimento, ou para camuflar, o Nome do Messias, estão, de fato, colaborando e sendo úteis ferramentas nas mãos inimigas, neste terrível projeto de APAGAR A MEMÓRIA DO SEU NOME.

A Colaboração neste sentido maligno vem de diversas formas diferentes: por descaso, negligência, ignorância, incredulidade, rebeldia e por ação corruptiva direta.

São incontáveis às vezes em que ouço alguém dizer: "Este assunto não é importante". Quem diz isso, ou pensa desta forma, não percebe a colaboração que está dando ao intento maligno de apagar a memória do Seu Nome!

Outros, até conseguem perceber esta realidade, porém diante da avaliação do preço a ser pago por defendê-la, recuam e se rebelam, pois se preocupam mais com o que podem preservar no tempo presente do que com o que possam receber no século vindouro.

Mas onde e quando surgiu este "evangelho paralelo"? E o que é este "evangelho paralelo"?

Em primeiro lugar, eu denomino "evangelho paralelo" a uma narrativa completa e quase idêntica às Sagradas Escrituras originais, com exceção dos NOMES de seus protagonistas.

Em princípio, é uma mensagem idêntica à original, porém com todos os personagens diferentes dos originais.

Toda obra de falsificação deve sempre ser muitíssimo parecida com a verdadeira, caso contrário não enganará a ninguém. Os falsificadores de dinheiro sempre se esmeram no cuidado de que as notas falsas sejam quase idênticas às verdadeiras, pois assim todos recebem e aceitam sem perceber o engano. Ninguém tentaria falsificar uma nota que não estivesse em circulação, nem o faria de forma grotesca, pois ninguém aceitaria a falsificação, de imediato.

O que os seres malignos fizeram com as Sagradas Escrituras, auxiliados por seres humanos incautos e corrompidos por interesses próprios, foi uma falsificação "idêntica" à original. Tomaram-lhe todos os seus textos, relatos, milagres, promessas, parábolas, profecias, acontecimentos, e criaram um "evangelho paralelo" onde todos os nomes foram corrompidos, alterados, modificados, substituídos.

Como ao mudarmos o nome, mudamos o fato, eles criaram um fato mentiroso, idêntico ao verdadeiro, com o objetivo de enganar até os corações mais sinceros. Não é sem razão que as escrituras alertam para o fato de que o inimigo tentaria enganar até mesmo os eleitos!!!

Para melhor entender essas mudanças e o nome do Messias, vamos viajar no tempo para entender um pouco sobre a mitologia antiga. Após essa viagem no tempo, voltaremos ao assunto bem mais pronto para entender no campo espiritual como se processou toda essa farsa. Uma antiga lenda Egípcia conta que o Pássaro Fênix sendo perseguido, se escondeu em um monte de trigo. Através deste meio, ele queria ser introduzido nos deuses novamente, entrando neles, por um pedaço de pão. Assim como em nossos dias, o inimigo se esconde no trigo e penetra nos seres humanos, e, continua de alguma forma a mentira e a falsa adoração.

Meu nome é blasfemado incessantemente o dia todo. “Portanto, o meu povo saberá o Meu Nome...” ISAIAS 52:5, 6 Quando e como isso aconteceu?

Podemos ter uma visão muito clara destas obras malignas se atentarmos para a parábola do joio e do trigo com correto discernimento de significados. Que o Altíssimo lhe conceda este entendimento agora!

Lucas 8:11: - (Parábola do semeador) "Este é o sentido da parábola: A SEMENTE É A PALAVRA DO ALTÍSSIMO". Nas escrituras, a semente tem significado de palavra, mensagem que é proferida. Na parábola do joio e do trigo, a seguir, veremos que há uma BOA SEMENTE, ou seja, uma BOA PALAVRA, e uma MÁ.

 

SEMENTE ou MÁ PALAVRA.

 

Mat. 13:24-30 - (Parábola do joio e do trigo) "Outra parábola lhes propôs, dizendo: O reino dos céus é semelhante a um homem que semeou BOA SEMENTE no seu campo; mas ENQUANTO OS HOMENS DORMIAM, veio o inimigo dele, semeou o joio no meio do trigo e retirou-se. E, quando a erva cresceu e produziu fruto, apareceu também o joio. Então, vindo os servos do dono da casa, lhe disseram: Amo, não semeaste BOA SEMENTE no teu campo? Donde vem, pois, o joio? Ele, porém, lhes respondeu: Um inimigo fez isso. Mas os servos lhe perguntaram: Queres que vamos e arranquemos o joio? Não! Replicou ele, para que, ao separar o joio, não arranqueis também com ele o trigo. Deixai-os crescer juntos até a colheita, e, no tempo da colheita, direi aos ceifeiros: ajuntai primeiro o joio, atai-o em feixes para ser queimado; mas o trigo, recolhei-o no meu celeiro".

Toda e qualquer planta é resultado de sua semente! Sementes de milho só produzem milho! Sementes de maçã produzem macieiras! Não precisamos ser biólogos ou botânicos para perceber a simplicidade deste fato.

Falando em termos espirituais, o trigo (planta já crescida) é uma pessoa que recebeu a BOA PALAVRA (semente de trigo) e com isso cresceu como um filho do reino! Por sua vêz, o joio, também é uma planta crescida, e representa uma pessoa que recebeu a MÁ PALAVRA, tornando-se filho do maligno.

É necessário agora que meditemos, e entendamos as respostas a algumas perguntas importantes como:

Que significa "enquanto os homens dormiam"?
Por que o Messias usou como exemplo justamente estas duas plantas? Qual é a MÁ SEMENTE uma vez que o texto fala de uma BOA e de uma MÁ?
Que fim terão os que receberam a BOA SEMENTE? E que fim terão os que receberam a MÁ SEMENTE?

ENQUANTO OS HOMENS DORMIAM

Há claramente um duplo significado nesta expressão e ambos são muito importantes. O primeiro significado é que, quando alguém dorme, está despercebido do que se passa como, de fato, todos estavam. Estar dormindo é o oposto de estar alerta e vigilante.

O segundo significado, e mais precioso, está revelado nas próprias escrituras. Vejamos:

João 9:4-5 - "É necessário que façamos as obras DAQUELE que Me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar. ENQUANTO estou no mundo, sou a luz do mundo".

João 12:35 - "Ainda por um pouco a luz está convosco. Andai enquanto tendes a luz, para que as trevas não vos apanhem; pois quem anda nas trevas não sabe para onde vai".

Parece-me muito claro, que a época mencionada, quando o joio começou a ser semeado, foi após a partida do Messias deste mundo com sua ascensão aos céus. Aí começou a noite e "quem anda nas trevas não sabe para onde vai".

Após a partida do Messias, tendo ele semeado a BOA SEMENTE, que aqui podemos chamar de Gloriosa Mensagem de Salvação, ou de Boas Novas de Salvação, começou a noite, onde OS HOMENS DORMIAM, e quando o diabo executou o seu plano de semear a MÁ SEMENTE.

As Boas Novas de Salvação, ao mesmo tempo em que foram sendo divulgadas, tanto em (Israel), como por outras terras fora de (Israel) (Judéia, Samaria e até os confins da terra), sutilmente, e despercebidamente, o inimigo foi semeando o joio por meio das culturas com as quais as Boas Novas se depararam.

Cada país e cada cultura na época, como até os dias de hoje, tinham suas próprias entidades de culto pagão. Na Grécia se adorava "Zeus", o principal, além de uma série de outras entidades igualmente cultuadas, dependendo da situação em questão. Em Roma, além de o próprio imperador ser considerado uma entidade superior espiritual, também outras entidades tinham seu lugar de culto pagão como "júpiter" e "Apolo".

O inimigo tirou o máximo proveito desta mistura de culturas, para semear o joio onde havia sido, antes, semeado o trigo. Ele se aproveitou da variedade de culturas para falsificar uma boa nova "idêntica" à verdadeira, porém falsa o bastante para levar o incauto à perdição.

O ponto crucial onde ele atacou para corromper e criar a falsidade, usando-se das múltiplas culturas agora envolvidas, foi o que mencionamos de início sobre seu plano maligno:

"E NÃO HAJA MAIS MEMÓRIA DO SEU NOME". - Jeremias 11:19

A diversidade de culturas propiciou, sobremaneira, o apagamento do verdadeiro Nome do Messias, nosso Salvador, introduzindo outros nomes corrompidos e blásfemos para o uso diário dos que "estavam dormindo, nas trevas, sem saber para onde iam".

Pela influência da cultura grega, a primeira grande corrupção que surgiu foi o título blásfemo com o qual, até os dias de hoje, os homens pensam estar se referindo ao Criador, sem perceber que O estão ofendendo profundamente.

O nome da entidade espiritual grega "zeus" deu origem à palavra "theos" que por sua vez resultou em "Deus" na língua portuguesa, e outras formas semelhantes em outras línguas grego-latinas, como "dios", "dieu", etc.

Ninguém precisa ser um estudioso de linguística para perceber que as palavras "deus", "theos" e "zeus" são, fonética e etimologicamente a mesma palavra; possuem a mesma raiz linguística. Primeira consoante palatar, seguida do mesmo ditongo decrescente (sons idênticos) e terminadas pela sibilante "s".Este título, blásfemo é claro, curiosamente é usado com referência a qualquer entidade espiritual de qualquer religião sobre a terra, indistintamente. Alguns pensam que, pelo fato de usar uma letra maiúscula na escrita como "Deus", fará alguma diferença quanto às raízes malignas e propósitos excusos do diabo.

Em relação ao termo “Deus”, convidamos o estudante das Escrituras a exercer o Maximo da sua atenção espiritual, e mesmo a orar para ampliar a pureza de suas motivações e intenções. Eis o que é digno de tão séria meditação e dedicação:

“Deus” do grego “Zeus” cujas declinações:

ό Zεύ –  Ó Zeu

ώ Ζευς- Pronuncia-se “ZEUS” o mesmo que “Iupiter” para os Romanos.

Δίος-  Díos

Διί-  Dií

Δία – Dia

Da palavra “Zeus” surgiu Théos em grego θέος, e que, em latim é o mesmo que Júpiter. A palavra “Teologia” surgiu desta raiz pagã, que significa o “Estudo de Deus”, ou seja, “Estudo de Zeus”.

A partir das declinações  descritas anteriormente, surgiram palavras latinas como “Deus” dentre muitas outras da mesma natureza. É óbvio que houve uma evolução da língua grega, e que, alguém o denominou foneticamente por esse nome a partir do egípcio antigo “Zeuth”. Vemos claramente que as formas do sincretismo são muito antigas. Querer justificar “Zeus” ou “Deus” como o mesmo que Pai dos Céus, e que, por isso, não é errado usar esta palavra, é o mesmo que dizer que na índia, usar o termo “Shiva” na Bíblia Sagrada (Salvação dos céus), está correto; ou referente à “Buda” considerar a utilização desse termo na “Bíblia” como “Deus” ou ser Poderoso; bem assim, Confúcio em outro País, e assim sucessivamente. Todos esses termos têm origem pagã representando os deuses ligados à adoração ao “Sol”.

No Dicionário: “Deuses e Heróis da Antiguidade Clássica”, de Tassilo Orpheu Spalding, (Cultrix Mec), do mnistério de Educação e Cultura em sua Primeira Edição de 1974 pág. 169 a 171 vemos:

“Júpiter ou Ζευς (genitivo Δίος) πατήρ, em grego, que corresponde ao Sânscrito Diaus pitar e ao Latim Ju-ppter (Ju ou Iu-ppiter)”. Diaus significa céu ou luz do céu (Igual ao sol) que por se só, já indica o caráter desta antiga divindade indu-européia. Para os gregos e Romanos, Júpiter era filho de Saturno e Réia.

O Nome indu-européia deus ou Deus, que se encontra em Sânscrito, Lituano, antigo prussiano, velho Islandês, galês, Latim e Grego, significa brilhante, inseparável do vocábulo dia, “Ζευς em grego, dies em Latim”.

 

Isso Transcreve claramente o que diz Isaias 14:12 a 14 “Como caíste dos céus, tu, o resplandecente, filho da alva! Como fostes cortado por terra tu que debilitavas as nações! E tu dizias no teu coração: Eu subirei aos céu, acima das estrelas de Elorrim e exaltarei o meu trono. E serei semelhante ao Altíssimo.”

Como vemos a estrela da manhã “Brilhante” ou “Dia” se refere a Ζευς ou Deus. O culto de Iúpiter ou Zeus graças ao helenismo, estendeu-se a vários povos e a várias línguas.

 

O Hebraísmo do primeiro século combatia arduamente a maneira Helênica de ser, pois se afastava completamente da “Torah”!... Os helênicos, nunca deixaram de adorar a “Zeus” ou “Deus” enquanto os que amam as Escrituras Hebraicas reconhecem somente Há’Shem; Por esse motivo, não usamos e não recomendamos esse termo fonético grego “Zeus” ou “Deus”.

Por conseguinte, O “Hebraico” é o idioma primordial de toda esfera da vida, Neste idioma está codificada toda a “Criação” do Eterno. Seu nome está dentro do nome de YESHUA, onde Ele se manifesta como Yeh; Eu Sou; Shua; Salvação. “Ehie Asher Ehie” ou O Grande “Eu Sou”; Aquele Que Causa Que Venha A Ser. Quanto à pronúncia, foi amplamente conhecida, enquanto existiu o Templo de Yeruschalayim (Jerusalém). Sendo a tradição passada de pai para filho e de mestre para discípulo, com respeito e reverência aos nomes sagrados. Por este motivo, recomenda–se a expressão Há’Shem como melhor forma de preservar a Santidade de Seu Eterno “Nome”.em fazer com que a humanidade invoque, desapercebidamente, o nome da entidade espiritual da mitologia grega, em lugar do NOME santíssimo do nosso Criador, conforme está escrito:

"Santificado seja o Teu Nome" - Mateus (Matytiahu)6:9

A segunda, e mais importante corrupção (joio) trazida pelo inimigo foi (e ainda é hoje) a mudança do Nome do Messias.

 

 

 

Esse parágrafo pertence a dos mais renomados pensadores nazarenos na atualidade artigo sobre Deus: A Conspiração Romana
Por Sha'ul Bentsion
Introdução: “O Pano-de-Fundo de uma Conspiração
O ano é 405DC. No auge de Roma, recém-fortalecida por seu famoso Concílio de Nicéia, um bispo
de nome Jerônimo conclui a sua tradução da Septuaginta para o Latim. Essa tradução populariza
exatamente o conceito que fez do Cristianismo, a nova roupagem da antiga religião pagã romana,
tão popular no império.
Muitos esforços foram feitos em Roma, por Inácio, Constantino, e outros, para estabelecer uma
religião unificada que assegurasse a pax romana. Afinal, quem controla a religião, contra as
massas. Quem controla as massas, controla o império.
Essa religião híbrida, que tomou emprestado alguns conceitos judaicos da seita dos nazarenos,
na realidade, mantinha antigas estruturas do politeísmo romano, de modo que os pagãos puderam
confortavelmente encontrar seu nicho na nova fé. O processo foi semelhante ao sincretismo do
Catolicismo com as religiões afro, no Brasil colonial.
Ave, Deus!
Não se pode contar com o apoio dos pagãos, ou converter as massas, fazendo oposição às suas
crenças já existentes. O ideal é buscar a aproximação, e não o confronto.
Porém, os bispos da nova religião romana tinham um problema: não podiam negar o panteão
primitivo com as suas divindades, mas ao mesmo tempo, precisavam estabelecer as fundações do
monoteísmo.
A solução engenhosa, mais tarde copiada por Mohammad quando lidou com o politeísmo árabe, era
fortalecer a figura do chefe do panteão - enaltecê-lo como um Ser Supremo, tão poderoso que as
demais figuras ficavam ofuscadas.
Como falar do Elohim dos hebreus, esse ser desconhecido, para um grupo de romanos politeístas?
A reposta é: através do sincretismo!
O panteão romano era derivado do que historicamente se conhece como o panteão Proto-Indo-
Europeu. O panteão Proto-Indo-Europeu é o nome conceitual dado às origens de um sistema
politeísta que floresceu e deu origem, posteriormente, às principais religiões pagãs da Europa, e do
Oriente.
O Panteão Proto-Indo-Europeu era governado por um ser supremo, de nome Dyeus. Dyeus era
conhecido como a divindade do céu iluminado - e sua posição no panteão Proto-Indo-Europeu era a
de um monarca ou patriarca.
De Volta às Origens
Curiosamente, a maioria dos estudos arqueológicos e antropomórficos apontam para a origem do
panteão Proto-Indo-Europeu como tendo origem na região do Iran/Iraque, sendo o Zoroastrismo a
religião mais antiga derivada desse sistema religioso.
Ou seja, todos os caminhos dessa religião primitiva apontam para Bavel. O berço de Satan e de toda
sorte de abominações aos olhos de YHWH. Essa religião, ao que sabemos pelos relatos bíblicos,
possivelmente tem origem no sistema religioso de Nimrod, Semíramis e Tammuz.
A adoração a Mitra, o deus-sol, que era um dos filhos de Dyeus no panteão proto-indo-europeu,
também tem sua origem neste fato.
O Panteão: Do PIE ao Romano
Como dissemos antes, a origem do panteão romano no primitivo panteão pronto-indo-europeu é
notória, e pode ser observada em diversas de suas divindades, como por exemplo a deusa Venus,
cuja origem está em Wenos, a deusa da aurora no panteão proto-indo-europeu.
Algumas dessas derivações podem ter surgido diretamente na região da atual Itália, outras indiretas,
a medida em que o império romano se expandia e absorvia a cultura de diversas regiões. Há,
por exemplo, uma posterior influência da mitologia grega no panteão romano. Porém, o próprio
panteão grego também é derivado do panteão proto-indo-europeu
Deus: O Líder
O líder do panteão proto-indo-europeu, como dissemos, era conhecido como
Dyeus. Seu nome, porém, sofreu derivações em diversas regiões. Seguem
alguns exemplos: Em sânscrito, era conhecido como Dyaus, nos balcãs, era
conhecido como Dievas, na região de Gaul, tornou-se Diaspater, no grego,
ficou conhecido como Zeus, na região da atual Alemanha como Tiwaz, e no
latim, inicialmente Jove Pater (Júpiter) - uma derivação de Dyeus Pather - e
posteriormente "Deus".
"Deus" era, portanto, o nome próprio do ser supremo do panteão romano -
conhecido como o pai de todos os outros deuses, o senhor da luz. Assim
como Zeus, na Grécia, "Deus" (Dyeus/Júpiter) era o mais adorado dentre as
divindades do paganismo romano.
Figura 1: Imagem de Dyeus, do Século 4AC, encontrada na Ucrânia
Roma Exalta o Seu Deus
Consciente, portanto, de que o "convergir" é muito mais eficiente do que "confrontar", os bispos
do recém-formado Cristianismo, a nova religião do império romano, fizeram o que havia de mais
lógico: ao se depararem com o Elohim Avinu (Elohim, nosso Pai) do Judaismo e da antiga seita dos
Nazarenos, igualaram-no a "Deus", a divindade-mor dos romanos.
Justamente aquilo que a Bíblia mais condena, a maior de todas as
abominações, e que é combatida por aqueles que crêem na Bíblia
atualmente - o sincretismo que iguala o Eterno a elementos de
religiões pagãs - foi feito ardilosamente pelos bispos romanos, selado por
Constantino, e consolidado por Jerônimo na tradução da Vulgata.
E hoje, inocentemente, milhares e milhares de pessoas de língua latina
(como o português, e o espanhol, por exemplo), inadvertidamente, são
levadas à adorarem essa entidade babilônia, o pai das mentiras - o próprio
Satan, pensando que ao adorarem a "Deus", estão adorando a YHWH.
Figura 2: Dyeus-Pater (Júpiter)
torna-se o Deus do Cristianismo
O "Deus" do Cristianismo, ingenuamente adorado pelas massas, é um dos títulos de Satan/Samael, e
não é o Eterno Criador dos Céus e da Terra. Reparem como é sutil e ardiloso o trabalho do inimigo.
É através de coisas aparentemente inocentes e bem-intencionadas, que Satan procura a cada
pequenino passo desviar a humanidade de YHWH. Essa jogada de Satan faz com que o mundo
viole um dos princípios mais básicos estabelecidos por ele: o de colocar outro diante dEle, em Seu
lugar.
A Profecia Se Cumpre
Uma dúvida ainda paira no ar. Será que as Escrituras previram esse ardiloso golpe de Satan?
O profeta Hoshea (Oséias) responde a essa pergunta.
No capítulo 2, Hoshea (Oséias) fala justamente de Efrayim na Galut. Repare o que dizem os
p'sukim 16 e 17:
"E naquele dia, diz YHWH, ela me chamará meu marido; e não me chamará mais meu Baal. Pois
da sua boca tirarei os nomes dos baalim [ie. divindades pagãs], e não mais se fará menção
desses nomes." Hoshea (Oséias) 2:16-17
Aqui fica bem claro: um dos pecados de Efrayim estava no fato de chamar a YHWH por meio do
nome de divindades pagãs.
Uma das características da restauração da fé está justamente no fato de YHWH retirar da boca de
sua noiva, Israel, os nomes pagãos. YHWH será chamado nosso marido, e não nosso "deus", nosso
"allah", nosso "budda" ou qualquer outro nome pagão usado por Efrayim para se referir a Ele.
Conclusão
Com o conhecimento, vem a responsabilidade. Somos chamados a sair de Bavel (Babilônia), a
abandonar completamente o seu sistema de mentiras, e de enganação.
Satan, em seu ardiloso esquema que culminará na religião universal (talvez uma espécie de
Cristianismo ecumênico), já tem a sua Igreja, o seu messias anti-Torá e anti-semita, e ainda leva o
ser humano a adorar a ele próprio (Deus). Não tardará muito em vermos a humanidade reunida para
juntos "adorarem a Deus" (ou a outras variantes - há também em outras línguas termos que
descendem de divindades pagãs, como "God" no inglês, etc.)
Se somos chamados para sair de Bavel, e se zelamos pela santidade no culto ao Eterno, então
conhecendo a verdade, jamais podemos ignorá-la, nem tampouco usar um dos nomes de Satan para
se referir ao Sagrado, Bendito seja Ele.”

Robespierre Cardoso da Cunha

Robespierre Cardoso da Cunha

Shalom.

Grande paz, bondade, bênção, graça, gentileza e compaixão sobre nós. Abençoa-nos, nosso Pai, todos nós como um só, com a luz do Teu rosto, pois com a luz do teu rosto nos deste, Adonai, nosso Elohim, a Torá da vida e amor de bondade, justiça, bênção, compaixão, vida e paz. E isto pode ser bom diante de Teus olhos para abençoar Teu povo a cada momento e a cada hora com a Tua paz. Bendito és Tu, Elohim, que abençoa todo o teu povo com paz.

Website: centrodeestudosprofeticos.com.br/

5 comentários

  • WANDERLEY SANTOS CAFÉ

    É BOM QUE EXISTA O CONTRADITORIO PARA QUE A LUZ RESPLANDEÇA. ESSE TRABALHO DO CENTRO DE ESTUDOS PROFÉTICOS É HISTÓRICO E TENHO CERTESA QUE O MUNDO CONHECERÁ A VERDADE QUE ESTAVA ESCONDIDA SOB A GUARDA DA CEGUEIRA PROVOCADA PELA FÚRIA ROMANA QUE É COMO UM VULCÃO ADORMECIDO.
    ESSE CAMARADA DE NOME VALDINE QUE ESCREVEU ESSE COMENTÁRIO CON SERTESA NÃO SABE CRITICAR COM A CONSCIENCIA LIVRE DE QUALQUER SOMBRA DE CONCEITOS PRÉ FORMADOS. CRITICOU MAS NÃO MOSTROU O QUE ELE DIZ QUE ESTÁ ERRADO. EM FIM, ELE É ESCRAVO DA ESCRAVIDÃO RELIGIOSA IMPOSTA E DEBAIXO DO JUGO DA INCOMPETÊNCIA.

    WANDERLEY SANTOS CAFÉ Ter, 28 de Fevereiro de 2012 23:35 Link o comentário
  • ROBESPIERRE

    ESSE INDIVIDUO É UM DESEQUILIBRADO EMOCIONAL ATESTADO PELA PROPRIA FAMILIA DELE...A IRMÃ DELE ELIOM ME FEZ UMA CARTA ME PEDINDO PERDÃO PELAS ATITUDES DELES E MENTIRAS....CRIADA PELO EGOISMO DELE!!!!
    AQUI ESTA A DECLARAÇÃO DA PRÓPRIA IRMÃ DELE:
    Oliveira 9236076272543415993@mail.orkut.com
    7 fev (3 dias atrás)

    para mim


    Imagens não exibidas Exibir imagens abaixo - Sempre exibir imagens de 9236076272543415993@mail.orkut.com Olá, Robespierre,

    Parece que não somos os únicos que achamos você legal. Veja o depoimento que Eliom Oliveira escreveu sobre você.


    Sinto muito, Pierre, sinto muito mesmo.Estou muito envergonhada, pois não sabia que ele estava fazendo esse tipo de coisa.Vou ter uma conversa séria com esse menino, pois não foi essa educação que ele teve dos meus pais, não.O zorah revela que todo calvo é fofoqueiro, vingativo e invejoso e hoje eu revelei isso a ele, pois peguei ele no flagra conversando com vc no meu computador.Pedi para ele parar, mas ele não deu ouvidos.Abri o jogo à ele e revelei pq ele era assim e disse para ele que estou disposta a ajuda-lo a canalizar esse mal, pois estou estudando a qabala e hoje compreendo muita coisa.

    ROBESPIERRE Sáb, 11 de Fevereiro de 2012 12:19 Link o comentário
  • francisco.

    eu comprei uma biblia dele por 145,00 que veio com 2 cd s ..
    as bordas veio com um metal que quase causa cortesnao vi muita diferença das outras biblias a nao ser as trocas dos nomes, valdine voçe tem prova que contem erros ? ou só ta tentando denigrir a imagem do cara???.
    se tem me mande um e-mail com as provas..

    francisco. Ter, 17 de Janeiro de 2012 11:17 Link o comentário
  • Edvaldo Andrade

    Shalom Ro'she Robespierre, escrevo para le alerta sobre o estudo (Deus o Pai do Panteão).
    Existe um erro no nome de Elizeu, no Hebraico Eliyahu é Elias, Elizeu é Elisha, ao passar um informação como essa que é muito forte mais do que a do nome (Jesus), é necessário prestar
    muita atenção para não ser motivo de zombaria.

    Birkat Kohanim - ברכת כהנים

    O Senhor te abençoe e te guarde - יְבָרֶכְךָ יְהוָה, וְיִשְׁמְרֶךָ - yevarechecha Adonai veyishmerecha

    O Senhor faça resplandecer o rosto sobre ti e tenha misericórdia de ti - יָאֵר יְהוָה פָּנָיו אֵלֶיךָ, וִיחֻנֶּךָּ - ya'er Adonai panav eleicha vichunecha

    O Senhor sobre ti levante o rosto e te dê a paz - יִשָּׂא יְהוָה פָּנָיו אֵלֶיךָ, וְיָשֵׂם לְךָ שָׁלוֹם - yissa Adonai panav eleicha veyasem lecha shalom

    Edvaldo Andrade Dom, 08 de Janeiro de 2012 11:14 Link o comentário
  • valdine

    A Bíblia Pexita Fabricada por Robespierre, altamente falsificada direto dos produtos do Paraguai. Este mentiroso diz que foi feita por uma comitiva de rabinos. Todavia é uma mentira descarada. A pexita ´é a mesma versão de João Ferreira de Almeida. Ele sem autorização Jurídica modificou a Joãozinho, todavia nela contem mais erros do que a Própria João Ferreira de Almeida. Seu valor é de 120 reais, todavia não vale 50. Quem mente é filho do diabo, e é o que o Robespierre é. Ela é criada em Salvador e se alguém quiser o endereço para dele para ver de perto que o que estou falando é só me mandar um e-mail: valdineybaliza@yahoo.com.br. O que ele está fazendo é crime e precisa ser denunciado.
    Eu não vou denunciá-lo, pois a consiencia é dele. Todavia se ele vim em qualquer lugar aqui em São Paulo eu quero está lá para advertir as pessoas de suas mentiras.
    Além disso ele fica apavorando as pessoas dizendo que vai cair uma bomba e destruir as pessoas. Onde ele vai ele diz que uma bomba vai cair lá. Ele mentiu dizendo que tinha um refugio em Salvador e era uma mentira. Todos os livros dele é pego de sites da internet sem a autorização. Ele escreve como se ele mesmo foi o autor.


    Se alguém quer comprar uma bíblia que mais se aproxima dos originais e que é legalizada na lei, e que não é produto de pirataria ai está uma: Seu valor é de 56 reais:

    valdine Qui, 05 de Janeiro de 2012 16:31 Link o comentário

Deixe um comentário

CEP - Centro de Estudos Proféticos
contato: Robespierre@centrodeestudosprofeticos.com.br - Telefone: (71) 3492-5517